Cultura Bali

No meio de um calor escaldante e dentro de um carro com aromas e oferendas para o Deus Ganesha, depara-se com os imensos arrozais que podem ser contemplados em Bali. São paisagens e vistas incríveis e que sempre seguem junto de áreas com muitos artesãos e seus ateliês.

O primeiro contato como viajante do ocidente é um tanto chocante. Logo se pensa: “como alguém pode trabalhar em tais condições e produzir verdadeiras obras de arte tão impressionantes? Após algumas semanas de convívio em suas casas e locais de trabalho aprende-se que o sorriso no rosto e a cordialidade são marcas registradas do trabalhador balinês. Independente do calor e da vida simples desses artistas, o seu trabalho é um incentivo para o ótimo humor e a magnífica criatividade que os artesãos de lá possuem.

Após um tempo em convívio com essas pessoas entende-se que o trabalho, mais do que uma mera forma de ganhar dinheiro, é uma paixão essencial para a vida e história dessas pessoas e que mais importante do que a riqueza material, é estar bem consigo mesmo, com sua família e comunidade e com a natureza magnífica que os cerca. A riqueza do trabalhador balinês é a sua paz de espírito.

Cada objeto, produzido a mão por esses excelentes profissionais, é muito mais do que um mero artefato de decoração. São objetos únicos, pois carregam um pouco da história, identidade e paixão de quem os produziu.